quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Ajuda...

És a alegria da família,
És a pessoa nova no mundo,
És o momento de felicidade,
És tudo como uma vaidade,
Vais crescendo pela multidão,
Conhecer o mundo,
E darem-te a mão.
Não és um recém-nascido,
Mas sim uma criança,
E tudo numa mudança,
Começaste a modificar,
E com o tempo começaste a fumar.
Foste metendo noutras drogas,
Começaste a pisar,
Até que começaste a roubar,
Levaste essa vida pela frente
Achaste que era potente,
No momento em que querias deixar,
Nada feito.
Apareceu-te a vida a frente chamando para não levares,
Em nada ligas-te,
Em nada pensas-te,
Tudo o que fazes a culpa é só tua,
A vida que levas é depende de ti.
As drogas nas cidades só existe para quem quer consumi-las,
Só consome que é influenciado,
Não és obrigado.
Se é essa a vida que queres pela frente não te admires das consequências,
Se queres parar,
Posso te dar a mão,
Para que possas saber que comigo podes contar,
Não te posso tirar desse teu vício num só momento,
Nessa tua pele seca e velha num só dia,
Nessa tua magreza numa só hora,
Mas posso estar sempre ao teu lado,
Para que consigas ultrapassar o tempo,
Como se fosse num só pensamento.


By: Dany

2 comentários:

Viviane disse...

Eu adorei esse texto!
Viagei muito nele, fui longe,
Foi bom passar por aqui.

Nada é por acaso!!!

manzas disse...

Sublimes versos escapam das almas dos poetas
Viajando até ao fundo dos céus como balões …
Suspensos ficam no tecto brilhando poesias inquietas
Reflectindo olhos orvalhados em prados de emoções

Dedicado a todos
Os poetas e poetisas
Deste mundo,
Os que já adormeceram,
E aos outros
Que ainda nem sono têm...

Bem hajam!

Um resto de uma boa semana...

O eterno abraço…

-MANZAS-